Santo Antônio do Salto
Santo Antônio do Salto

Uma das muitas cachoeiras de Santo Antônio do Salto

Arquivo SETIC

Santo Antônio do Salto é um distrito muito conhecido por suas matas quase intocadas e cachoeiras com grandes quedas, por estar situado em uma região a 800 metros de altitude, num rebaixamento da Serra de Lavras Novas que o circunda.

O distrito também é famoso por sua culinária típica, repleta pratos feitos pelas quitandeiras locais com ingredientes bem mineiros, como a cuca de banana, o bolo de fubá com rapadura, o frango com ora-pro-nobis, as receitas com umbigo de banana, entre outras produções gastronômicas. Essas receitas passadas de geração em geração deram origem ao Festival de Cultura e Culinária Típica de Santo Antônio do Salto, que acontece todos os anos no mês de agosto, no qual esses pratos são degustados e é eleito o grande vencedor. A festa conta ainda com shows, barraquinhas e venda do artesanato local.

Além disso, uma característica marcante no local é sua religiosidade. A festa do santo padroeiro, Santo Antônio, celebrada em 13 de junho, se transforma em uma grande festa junina com participação de toda a comunidade e grande número de visitantes. Outro festejo religioso acontece na localidade próxima chamada Fundão do Cintra, que possui uma capela datada do final do século XIX, a Capela de Nossa Senhora dos Remédios, elemento fundamental da Festa de Nossa Senhora dos Remédios e Santo Antônio do Fundão do Cintra, celebrada em agosto, e que possui registro como patrimônio imaterial de Ouro Preto, desde 2009.

O distrito de Santo Antônio do Salto está localizado a cerca de 35 Km de Ouro Preto. Segundo a tradição oral, o local foi assim nomeado em razão de ser o último lugar onde se saltava o rio em direção à Fazenda das Bandeiras, para Piranga ou Catas Altas. Outra razão seria a altura do salto da principal queda d´água, a chamada Cachoeira do Rapel, com mais de 200 m de queda.

A origem do povoado se deu no século XVIII com a Fazenda do Salto que minerava e também tinha plantações na região. Nessa fazenda havia uma ermida dedicada a Santo Antônio, que deu lugar a atual capela, hoje centro do distrito. Após inúmeras reformas, em 1938 a capela tomou a forma atual.

Com o passar dos anos, as famílias da localidade dedicaram-se à agricultura, com destaque para a produção de banana, vendida na sede em Ouro Preto. Também pratica-se a pecuária, além do artesanato e venda dos pratos típicos locais.

População: 1068 habitantes

Atenção: você que não identificou algum local listado, clique aqui e preencha o formulário que entraremos em contato.

Fontes de informação e referências:

Texto: Greiza R. Tavares Rodrigues Ferreira - Jornalista - Agente Administrativo - Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio - Prefeitura de Ouro Preto - MG.

Referências:

COSTA, Joaquim Ribeiro.Toponímia de Minas Gerais.Ed. Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte 1970.

FORTES, Solange. Ouro Preto conta Ouro Preto: tradições da Terra do Ouro. Ouro Preto: Escola Dom Pedro II, 1996.

MARTINS, Antonio de Assis e OLIVEIRA, José Marques.Almanak administrativo, civil e industrial da província de Minas Gerais.Typographia do Minas Geraes, Ouro Preto, 1864.

VASCONCELLOS, Diogo de. História Média de Minas Gerais. 4ª Edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1974.

Disponível em: > http://patrimonioimaterialop.blogspot.com/ > Acesso: 30/05/2019.