Engenheiro Corrêa
Engenheiro Corrêa

Capela de Santo Antônio do Monte

Wilerson Noronha

O distrito de Engenheiro Corrêa, situado a 38 km de Ouro Preto, é caracterizado por possuir antigas fazendas e natureza intocada, com destaque para a presença maciça de pequenas aves nas matas que o circundam.

Sobre as origens do distrito, sabe-se que teve início com um povoado próximo ao atual centro da localidade, denominado Santo Antônio do Monte. Em torno da pequena capela dedicada a Santo Antônio (ainda existente), muitas fazendas se estabeleceram. É possível ver os vestígios de vários e extensos muros de pedra seca, limítrofes destas fazendas. Esse local é um atrativo cultural e natural importantíssimo, pois fica na parte mais alta do distrito, porporcionando uma bela vista do vale.

A região, banhada pelo Ribeirão Sardinha, propiciava a construção e manutenção dessas fazendas que mineravam na região também praticavam o plantio de alimentos, que abasteceram as proximidades de Vila Rica.

A atual configuração do distrito se desenvolveu em torno da estação ferroviária, inaugurada em 1896, com o nome de Estação Sardinha (fazendo referência ao Ribeirão Sardinha). Nesse período, o lugarejo teve seu nome mudado para Engenheiro Corrêa, em homenagem a Manuel Francisco Corrêa Júnior, o engenheiro supervisor da Estação Sardinha, que faleceu em um desastre nas proximidades da estação.

Um dos principais atrativos arquitetônicos é a capela de São José, datada do final do século XIX. Construíram a igreja de Nossa Senhora da Conceição por volta de 1940, porque a anterior já não comportava todos os fiéis. Assim, Engenheiro Corrêa se desenvolveu tão rapidamente que, em 1953, foi elevada à categoria de distrito de Ouro Preto. 

 As festas religiosas também são tradição no local. A festa em louvor à Nossa Senhora se realiza junto às comemorações em louvor ao Sagrado Coração de Jesus, no mês de agosto. A Festa de São José e de São Sebastião são preparadas com novenas, missas, barraquinhas e leilões.

População:403 habitantes

Atenção: você que não identificou algum local listado, clique aqui e preencha o formulário que entraremos em contato.

Fontes de informação e referências:

Texto: Greiza R. Tavares Rodrigues Ferreira - Jornalista - Agente Administrativo - Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio - Prefeitura de Ouro Preto - MG.

Referências: COSTA, Joaquim Ribeiro.Toponímia de Minas Gerais.Ed. Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte 1970.

MARTINS, Antonio de Assis e OLIVEIRA, José Marques. Almanak administrativo, civil e industrial da província de Minas Gerais.Typographia do Minas Geraes, Ouro Preto, 1864.

VASCONCELLOS, Diogo de. História Média de Minas Gerais. 4ª Edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1974.

Disponível em: >http://www.ouropreto.mg.gov.br/distrito/4 > Acessado em 30/05/2019.