Ouro Preto celebra Aleijadinho e o Barroco Mineiro

Por Greiza Tavares | 21/11 às 10h:55
Frontão da Igreja São Francisco de Assis, cujo projeto arquitetônico é atribuído a Aleijadinho.Foto por: Ane Souz

Na última segunda-feira, 18 de novembro, Ouro Preto celebrou o Dia de Aleijadinho e do Barroco Mineiro. A data foi instituída em Minas Gerais pela Lei Estadual 20.470, de 2012, com o objetivo de valorizar o patrimônio histórico relativo à obra de Antônio Francisco Lisboa, uma vez que esse dia é marcado pelo aniversário de seu falecimento: 18 de novembro de 1814. Em Ouro Preto, anualmente, Antônio Francisco Lisboa, o patrono das artes no Brasil, é homenageado e lembrado na Semana do Aleijadinho. 

A Semana do Aleijadinho, realizada pela Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, do bairro Antônio Dias, com apoio da Prefeitura de Ouro Preto, celebrou neste ano a 42ª edição com o tema “A preservação do patrimônio histórico e as manifestações culturais na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição”.

Durante toda a semana a programação contou com exposições, encontro de bandas civis, apresentação do Bloco Zé Pereira dos Lacaios e visitas guiadas para acompanhamento do processo de restauração dos elementos artísticos e bens integrados da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, visitas guiadas ao Museu Aleijadinho, além da entrega da Medalha do Aleijadinho às pessoas e instituições que contribuem para preservação da história, da arte e cultura em Ouro Preto.

O secretário de Cultura e Patrimônio, Zaqueu Astoni, destaca que “ao comemorarmos o 42º Semana do Aleijadinho, relembramos o legado do artista, que fez o nome de Ouro Preto ganhar o mundo”.

No dia de Aleijadinho e do Barroco Mineiro, 18 de novembro, houve toque dos sinos durante todo o dia e missa em memória de Antônio Francisco Lisboa. A celebração foi também em ação de graças pelos 51 Anos do Museu Aleijadinho, que foi criado com a função de contribuir com a preservação do patrimônio histórico da paróquia do Antônio Dias e de Ouro Preto. Na mesma data foi criada a Semana do Aleijadinho, que, além de homenagear a memória desse grande artista, também objetiva ser uma semana pedagógica e de difusão de arte e cultura.

Ouro Preto é um dos principais destinos históricos culturais, reconhecido como primeiro lugar na pesquisa datafolha, no que tange ao turismo histórico cultural. O Secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Felipe Guerra, comenta sobre a celebração: “O Barroco Mineiro, com destaque das obras de Aleijadinho, é um das principais motivações para a vinda de turistas para a cidade. Muitos dos visitantes que recebemos vêem para apreciar as obras e as construções que narram à história de Ouro Preto. É um dos destinos mais bem colocados e que atrai turistas do Brasil e do mundo para conhecer o barroco que é nosso patrimônio material. É fundamental nos vangloriar e homenagear a arte barroca que resguarda a nossa cultura, o nosso patrimônio e guardarmos nossa história!", enfatiza Felipe Guerra.

 

Um pouco mais sobre Aleijadinho

Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho, nasceu em Ouro Preto, provavelmente no ano de 1738, e faleceu em 18 de novembro de 1814. Ele foi um importante escultor, entalhador e arquiteto do Brasil colonial, sendo considerado o Patrono das Artes no Brasil.

A biografia de Aleijadinho é controversa por haver poucos registros documentais. A principal fonte documental sobre Aleijadinho é uma nota biográfica escrita cerca de 40 anos após sua morte. Dessa forma, sua trajetória é traçada através das obras que deixou com base em critérios de semelhança estilística com peças documentadas. Assim, atualmente existem cerca de 400 criações associadas ao seu nome.

O estado de Minas Gerais foi agraciado com toda a sua obra, especialmente Ouro Preto, com destaque para a Igreja de São Francisco de Assis; Congonhas, onde nota-se o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos; Sabará e São João del-Rei. Seu estilo é relacionado ao Barroco e ao Rococó, por isso é considerado pela crítica brasileira como o maior expoente da arte colonial no Brasil e, internacionalmente também é reconhecido como o maior nome do Barroco nas Américas.