Em Ouro Preto, entra em vigor decreto que suspende o funcionamento de bares, lanchonetes e restaurantes

Por Greiza Tavares | 25/03 às 02h:13

Texto: Dalília Caetano

 

Está suspenso, em Ouro Preto, o funcionamento de bares, lanchonetes e restaurantes, por tempo indeterminado. O governo municipal publicou, no último domingo, 22, o Decreto Nº 5665, que suspende a realização de eventos públicos e privados de qualquer natureza com público superior a trinta pessoas; atividades em feiras, inclusive feiras livres; shopping centers e estabelecimentos situados em galerias ou centros comerciais; cinemas; clubes; academias de ginástica; boates; salões de festas; teatros; casas de espetáculos e clínicas de estética; museus; bibliotecas; centros culturais; bares; lanchonetes e restaurantes.

Ainda de acordo com o Decreto, “fica determinado aos estabelecimentos comerciais e industriais que adotem sistemas de escalas, revezamento de turnos e alterações de jornadas, para reduzir fluxos, contato e aglomeração de trabalhadores, bem como implementem medidas de prevenção ao contágio pelo COVID-19, disponibilizando material de higiene e orientando seus empregados de modo a reforçar a importância e a necessidade de: adotar cuidados pessoais, sobretudo lavar as mãos, utilizar produtos assépticos durante o trabalho e observar a etiqueta respiratória;manter a limpeza dos instrumentos de trabalho”.

Tais medidas foram adotadas no intuito de prevenir e conter o possível avanço do Coronavírus no município. Lembrando que em Ouro Preto ainda não há registro de nenhum caso confirmado da doença, como já foi declarado, em entrevista, pelo prefeito de Ouro Preto, Júlio Pimenta.

A suspensão não se aplica a farmácias e drogarias; hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de abastecimento de alimentos; padarias; distribuidoras de gás; agências bancárias, lotéricas e similares e outros.

Quem tiver conhecimento do descumprimento das determinações previstas nesse Decreto, pode realizar a denúncia por meio dos telefones: (31) 3559-3244 (Fiscalização de Posturas); 153 (Guarda Municipal) e 190 (Polícia Militar).