9 de Novembro: Dia do Hoteleiro

Conheça um pouco da trajetória do hoteleiro e comerciante Márcio Abdo de Freitas

Por GreizaTavares |09/11 às09h:58

Nesta terça-feira, 9 de novembro, comemora-se o Dia do Hoteleiro! Esta foi a data escolhida porque neste dia, em 1936, foi realizado o primeiro Congresso da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), no Rio de Janeiro.

Esta data valoriza toda a classe de trabalhadores que tem a função de proporcionar uma boa qualidade de serviços para os hóspedes nos hotéis, pousadas, albergues e hostels, agindo com hospitalidade e profissionalismo. Neste sentido, o Dia do Hoteleiro é destinado a todos que atuam nos meios de hospedagem, como recepcionistas, concierges, camareiras, gerentes, proprietários de hotéis, etc. Parabenizamos todos esses profissionais!

Dessa forma, hoje homenageamos todos esses profissionais na pessoa do hoteleiro Márcio Abdo de Freitas. Márcio é hoteleiro há 21 anos, é também comerciante há mais de 40 anos em Ouro Preto, além de ser presidente da organização “Ouro Preto e Circuito do Ouro Convention & Visitors Bureau”.

 

Perfil: Márcio Abdo de Freitas

Márcio Abdo de Freitas nasceu em Ouro Preto, em 5 de setembro de 1948. É o primogênito dos 5 filhos de Ivolino de Freitas e Maria Abdo Santiago de Freitas. O pai, natural de Itaguara, região metropolitana de Belo Horizonte, e a mãe natural de Ouro Preto, do distrito Amarantina. O senhor Ivolino de Freitas fixou residência em Ouro Preto por ser gerente do antigo Banco Indústria e Comércio, que depois se tornaria o Banco Nacional.

Desde cedo, Márcio demonstrou grande dedicação aos estudos. Quando criança, ele cursou o chamado grupo escolar na Escola Dom Pedro II, posteriormente, concluiu o quinto ano “de grupo” na Escola Marília de Dirceu. Quando adolescente, ele cursou os quatro anos do Ginásio no Colégio Arquidiocesano. Anos depois, em 1964, Márcio foi aprovado na Escola Técnica Federal de Ouro Preto (atual IFMG), onde se formou Técnico em Mineração, em 1966. De 1967 a 1971, cursou Engenharia Civil na Escola de Minas.

Ao longo dos anos, Márcio foi cultivando o desejo de trabalhar na área de Administração de Empresas. Dessa forma, logo após se formar como engenheiro, ele foi cursar pós-graduação na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, onde havia um curso de Administração de Empresas considerado um dos melhores do Brasil, naquela época.

Em meados de 1972, Márcio se candidatou na Fundação João Pinheiro, em Belo Horizonte, para cursar MBA nos Estados Unidos. A Fundação tinha o objetivo de instituir uma escola de administração para executivos, assim firmaram um contrato com a Universidade Columbia, em Nova York. Após um ano e meio de curso especialização em finanças nessa Universidade, em dezembro de 1973, Márcio retornou a Belo Horizonte e trabalhou na Fundação João Pinheiro lecionando nesse novo curso para executivos.

Em junho de 1974 casou-se com Ângela Carvalho de Freitas, paulista de família ouro-pretana, com quem teve três filhos. Nesse mesmo período, ele trabalhou no setor financeiro da indústria Metal Leve, indústria de autopeças, em São Paulo, onde residiu por um ano. Posteriormente, Márcio trabalhou na Usiminas, em Belo Horizonte, também na área de finanças, na Assessoria de Planejamento Empresarial, por cinco anos.

Em 1980, retornou com a família a Ouro Preto e tornou-se sócio do cunhado em uma loja de presentes, móveis e outros artigos. A loja Colé Presentes funcionou em vários locais da cidade até se firmar no local atual : na Rua São José, em frente à Casa dos Contos. Com a mudança do cunhado para Lafaiete, a sociedade se rompeu e Márcio, juntamente com sua esposa, deu continuidade aos negócios da loja em Ouro Preto, até os dias atuais.

A partir da década de 1990, Márcio passou a se interessar cada vez mais pela área de hotelaria, e quando a UFOP anunciou que iria transformar o antigo Parque Metalúrgico em Centro de Convenções, ele decidiu construir um hotel no terreno que possuía no bairro São Cristóvão. Com a visão e a expectativa de que Ouro Preto iria passar a atrair mais turistas com os eventos e congressos realizados no Centro de Convenções, o Hotel Pousada do Arcanjo foi inaugurado em julho do ano 2000. Nesse mesmo período, Márcio cursou Direito na UFOP, concluindo em 2003.

Porém, mesmo antes de se tornar hoteleiro, Márcio já se envolvia com a temática do turismo, pois em 1980 havia se tornado associado na Associação Comercial  e Empresarial de Ouro Preto (ACEOP). Em 1985 foi eleito Presidente da Associação, sendo reeleito ao cargo por vários mandatos. Na Associação ele assumiu atividades relativas ao comércio varejista, mas também relativas ao turismo, uma vez que havia muitos empresários proprietários de hotéis, pousadas e  restaurantes como associados.

Em sua experiência há mais de duas décadas como hoteleiro, Márcio afirma que houve e ainda há muitos desafios nessa área, mas oferecer ao turista atendimentos diferenciados certamente colocam um empreendimento em destaque. "Gosto dessa área de turismo, acho muito interessante, é um segmento importante, uma vocação natural que Ouro Preto tem. O começo como hoteleiro foi muito difícil, principalmente porque construímos um hotel fora do centro histórico de Ouro Preto. Alguns me consideraram louco por isso, mas para compensar a localização, projetamos um hotel com arquitetura e design de interiores diferenciados. Além de oferecer alguns requintes, comodidades e acessibilidade. E principalmente prezamos muito pela qualidade do atendimento ao hóspede", afirmou.

Quando ainda estava na ACEOP, surgiu a ideia de fundar a organização “Ouro Preto e Circuito do Ouro Convention & Visitors Bureau”, juntamente com os associados. Assim, a organização foi fundada em Ouro Preto, em maio de 2005, pelos presidentes das associações comerciais dos municípios do Circuito do Ouro, como resultado de uma articulação liderada pela Associação Comercial e Empresarial de Ouro Preto (ACEOP).

A finalidade da organização, que é uma entidade específica da área de turismo, é fazer a divulgação do destino turístico e a captação de eventos para a cidade ou para a região. Ao longo dos 16 anos de atuação, a entidade tem cumprido seu propósito na promoção dos destinos turísticos do Circuito do Ouro, sobretudo na divulgação de Ouro Preto. Vários projetos foram realizados, como "Ouro Preto no tempo: um passeio pelos trajes da história" e o Festival de Turismo, por exemplo. Outro projeto a ser implementado será de promoção da Gastronomia da região. Com a pandemia, as atividades do Convention  ficaram suspensas, mas o objetivo é a retomada desses projetos citados em 2022.

Márcio fez parte da Diretoria da ACEOP por muitos anos e atualmente é associado e presidente do Conselho da Associação. Além disso, ele hoje preside a organização “Ouro Preto e Circuito do Ouro Convention & Visitors Bureau”.