Ouro Preto sediou o Segundo Congresso Internacional de Matosinhos

Evento destacou devoção ao Senhor de Matosinhos e a necessidade de restauração da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos e São Miguel e Almas do bairro Cabeças em Ouro Preto

Por PatrickSilva |19/09 às03h:50
Foto por:Patrick de Araújo

Entre os dias 13 a 15 de setembro, Ouro Preto sediou o II Congresso Internacional do Senhor de Matosinhos. O evento aconteceu de forma gratuita e aberta ao público em Ouro Preto e na cidade de Congonhas, o seminário discutiu os laços entre Portugal e Brasil em torno da devoção ao Senhor de Matosinhos. O objetivo do encontro foi destacar o culto ao Senhor Bom Jesus do Matosinhos em Minas Gerais e também como protesto para a importância da restauração da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos e São Miguel e Almas, localizada no bairro Cabeças, em Ouro Preto. O prefeito Angelo Oswaldo sugeriu a elaboração de uma carta conclusiva do Congresso pela restauração da Igreja, templo de grande devoção para a comunidade ouro-pretana. O documento foi assinado no encerramento do Congresso e será enviado aos representantes do Governo Federal.

Os congressistas participaram de visitas guiadas pelos museus de Ouro Preto, da abertura da exposição “Devoção ao Senhor de Matosinhos”, na Casa de Gonzaga, além de Missa presidida pelo Arcebispo da Arquidiocese de Mariana Dom Airton e visitas guiadas na cidade de Congonhas. O Congresso foi realizado em parceria com a Prefeitura de Congonhas e a Associação das Cidades Históricas Mineiras.

A secretária de Cultura de Ouro Preto, Margareth Monteiro, destacou a importância da presença de representantes da cidade portuguesa de Matosinhos e de gestores de cidades mineiras neste intercâmbio de cultura e fé: “A iniciativa da Prefeitura Municipal de Ouro Preto, com o apoio da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais é uma ação que guarda e preserva a memória da devoção ao Senhor Bom Jesus de Matosinhos. É muito importante termos conosco representantes da cidade de Matosinhos, do Norte de Portugal, com duas gestoras da cultura, o vereador da cultura, Fernando Rocha, que é o equivalente a secretário de Cultura da cidade e o historiador, Joel Cleto, que relatou como foi encontrada a primeira imagem do Bom Jesus do Matosinhos. Contamos também com a presença do prefeito de Congonhas, Cláudio Antonio de Souza, e do Prefeito de Itapecerica, Wirley Reis, fortalecendo os vínculos entre as cidades mineiras; é uma história de muita fé”, destacou a secretária.

O historiador português, Joel Cleto, contou a história do início da formação da devoção à imagem do Senhor de Matosinhos, que apareceu no porto da cidade, localizada ao norte do país europeu, que é conhecida na crença católica como a imagem mais fidedigna a aparência de Jesus Cristo crucificado em tamanho real. Conta a lenda, que uma criança surda encontrou o braço perdido da imagem em uma praia e recebeu o milagre de voltar a ouvir.

O Prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo, fez a abertura do evento e recitou um poema do escritor marianense Alphonsus de Guimaraens em homenagem à devoção ao Senhor de Matosinhos. O Vereador da Cultura da cidade de Matosinhos, Fernando Rocha, presenteou Angelo Oswaldo com uma réplica, em miniatura, da imagem do Senhor de Matosinhos, cuja escultura original, em tamanho real, é conhecida como uma das imagens mais antigas no mundo do Cristo crucificado. Os prefeitos de Congonhas, Cláudio Antonio de Souza e do prefeito de Itapecerica, Wirley Reis também receberam o presente.

Além de debater sobre a cultura e a devoção ao Senhor do Matosinhos, o evento intentou chamar a atenção para a necessidade de restauro da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos e São Miguel e Almas das Cabeças. Durante o encerramento do Congresso, o prefeito sugeriu a elaboração de uma carta conclusiva do encontro que solicita o restauro do templo. A Carta de Ouro Preto, que solicita ao Governo Federal e ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) a restauração da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos e São Miguel e Almas e a continuação das obras no Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos na cidade de Congonhas, foi assinada pelo prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo, prefeito de Congonhas, Cláudio Antonio de Souza, o vereador da cultura, Fernando Rocha e o historiador português, Joel Cleto em frente ao templo no bairro Cabeças em Ouro Preto.

Angelo Oswaldo destacou a importância da luta pela restauração da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos e São Miguel e Almas. “O Segundo Congresso Internacional do Senhor do Matosinhos, acontece em Ouro Preto em um momento significativo para nós que estamos lutando pela restauração da Igreja de Bom Jesus de Matosinhos e São Miguel e Almas das Cabeças, um dos templos mais importantes de Ouro Preto. Com obras do Aleijadinho e do Athaíde, que está fechado há muitos anos porque o Governo Federal cortou todas as verbas do Iphan e do restauro de bens culturais”, afirmou o prefeito.

 

Exposição “Culto Religioso à Imagem do Senhor do Bom Jesus de Matozinhos”

 

Como parte da programação do evento, que aconteceu entre os dias 13 e 15 de setembro, a Casa de Gonzaga, sede da Secretaria de Cultura e Turismo, recebe até o dia 03 de outubro a exposição fotográfica “Culto religioso à imagem do Senhor Bom Jesus de Matosinhos”. A mostra reúne imagens de fé e devoção das 24 cidades de Minas Gerais devotas ao Bom Jesus de Matozinhos. Junto às fotografias apresentadas, há também, a mostra da oficina sentidos da fé: ex-votos em cera (que demonstram a tradição dos devotos em montar uma representação do corpo humano em cera ou madeira como forma de agradecimento, quando o fiel faz um pedido e é agraciado com um milagre), fitas, laços, cartões e outros objetos, que também são usados como forma de agradecimento. A exposição é gratuita e pode ser visitada na Casa de Gonzaga, de terça a domingo das 10h às 18h.