Núcleo Histórico de São Bartolomeu
Núcleo Histórico de São Bartolomeu

Acervo do PROPAT

São Bartolomeu é um dos distritos com maior extensão territorial do município de Ouro Preto, apesar do número reduzido de população. Suas atividades econômicas ligam-se essencialmente à trabalhos agropastoris, destacando-se a produção de doces. Atualmente começa a tomar vulto no distrito o turismo de lazer: cultural e ecoturismo. No território do distrito de São Bartolomeu encontram-se também importantes áreas de preservação ambiental como a APA da Cachoeira das Andorinhas e a Floresta do Uaimii. A justificativa primordial de tombamento do Conjunto Urbano de São Bartolomeu está no reconhecimento e apropriação do distrito como patrimônio cultural pela sua própria comunidade. Além disso, a necessidade de preservação do distrito se justifica pelo conjunto urbano existente – malha urbana original em grande parte preservada; pela trajetória histórica - este conjunto representa uma das primeiras ocupações do território mineiro, antes mesmo de Vila Rica, hoje Ouro Preto, e exemplo raro de compatibilização das atividades de mineração e produção de alimentos; pela composição arquitetônica - ocupação harmônica e bem preservada dos séculos XVIII e XIX, concentrada nas Ruas do Carmo e Espírito Santo, com alguns exemplares nas Ruas do Córrego, dos Trapichos e da Praia; pelo patrimônio ambiental e e pela cultura imaterial – preserva tradições religiosas e profanas seculares. O Inventário das Características Urbano-Arquitetônicas do Distrito de São Bartolomeu foi o norteador na delimitação do perímetro de tombamento. A Rua do Carmo, primeiro traço na formação de São Bartolomeu, é o principal eixo na delimitação do perímetro, e nela localiza-se o ponto central, marcado na Matriz de São Bartolomeu. Daí estende-se na direção do comprimento dos lotes de ambos os lados da via, visto que a configuração dos lotes é parte do desenho urbano, objeto de preservação e tombamento. O Rio das Velhas é um elemento simbólico fundamental da formação do arraial e a proteção das suas margens é fundamental, principalmente na região denominada praia, onde eram concentradas as lavras de mineração. Atualmente, no gramado da praia podem ser vistos resquícios de atividade mineradora, potencial certo de preservação do patrimônio arqueológico e, por isso, a área do perímetro atravessa o leito do rio. Outro elemento norteador na delimitação é a Igreja das Mercês que, de cima do morro, destaca-se no conjunto setecentista. Em direção à saída para Ouro Preto, o perímetro se estende para porção posterior da igreja.

 



Parecer de tombamento: clique aqui para download

Fontes de informação e referências:

Acervo de Inventários e Dossiês da Prefeitura de Ouro Preto/PROPAT e Arquivo Público Municipal de Ouro Preto