Matriz de São Gonçalo do Amarante
Matriz de São Gonçalo do Amarante

Acervo do PROPAT

O bem cultural Igreja Matriz de São Gonçalo, situada no distrito de Amarantina, foi construída na década de 1750 e se situa no cume de uma elevação, dominando a paisagem urbana e se destacando perante as demais edificações religiosas presentes na localidade. A respeito de sua evolução arquitetônica, é possível crer que a tipologia da Igreja tenha advindo das primitivas capelas do interior de Minas Gerais, erigidas quando os processos de ocupação aí começam a se intensificar, marcadas por traços de uma arquitetura simples, sem a presença de torres laterais e sem muitos ornamentos. A medida que cresciam os vilarejos, foram-se angariando recursos e isso possibilitava que as capelas fossem ampliadas recebendo, às vezes, algum tipo de ornamentação em suas fachadas. Além da ornamentação, na Matriz de São Gonçalo ocorreu a construção das duas torres, implantadas na Fachada Principal, dos recintos laterais mais aos fundos, erigidos juntamente ao corpo do capela-mor, alterando significativamente o estilo original da igreja ao adaptar um telhado borboleta. O entorno imediato da Matriz de São Gonçalo do Amarante foi palco durante muitos anos de um intenso calendário cultural. Este é constituído por festas religiosas ou populares, sendo preenchido por eventos durante o ano. É na Matriz de São Gonçalo que acontecem todos os ofícios religiosos do período da festa do padroeiro. A Matriz é o marco referencial de maior importância da comunidade de São Gonçalo do Amarante (ainda assim chamado por muitos), hoje Amarantina. A história da igreja está indiscutivelmente ligada à história do distrito, a sua fundação e a suas tradições.



Parecer de tombamento: clique aqui para download

Fontes de informação e referências:

Acervo de Inventários e Dossiês da Prefeitura de Ouro Preto/PROPAT e Arquivo Público Municipal de Ouro Preto