Capela de Nossa Senhora Auxiliadora dos Calastrois
Capela de Nossa Senhora Auxiliadora dos Calastrois

Acervo do PROPAT

Antes de qualquer referência ao bem cultural “Igreja Nossa Senhora Auxiliadora dos Calastróis” é importante situá-la ao local em que se encontra, pois ela é antes de tudo, uma construção que renovou um local sacro historicamente importante para os então moradores do local, quando de sua construção no início do século XX. O local havia sido ocupado por uma antiga capela, dedicada a São Julião, que datava de 1749. Esta Capela teria sido abandonada em decorrência dos conflitos havidos na região durante a Revolução Liberal de 1842, quando os Liberais se levantaram contra o governo Conservador e foram duramente reprimidos. A construção então da Igreja Nossa Senhora Auxiliadora dos Calastróis, deu-se por sobre as ruínas, que não foram destruídas, mas incorporadas internamente à estrutura das paredes laterais e no fundo, sendo o frontão mantido o original, escorado e acrescentada uma torre lateral esquerda. Guarda, ainda, materiais construtivos como ladrilhos hidráulicos de variados desenhos e telhas cerâmicas francesas, características da virada do século XIX para o XX. A Igreja tornou-se a Matriz de uma nova Paróquia. O entorno imediato da Igreja não tem ocupação edilícia de vulto, sendo mantido em estado vegetado, onde predomina a vegetação rasteira. Nas costas mais baixas estão dois cemitérios, que conformam junto a Capela e um coreto o Conjunto Calastróis. A existência deste acervo arquitetônico retrata uma ciclos de ocupação e desocupação, exploração e abandono, opulência e descaso, ainda presente na realidade de muitos territórios.



Parecer de tombamento: clique aqui para download

Fontes de informação e referências:

Acervo de Inventários e Dossiês da Prefeitura de Ouro Preto/PROPAT e Arquivo Público Municipal de Ouro Preto