Igreja da Queimada
Igreja da Queimada

Acervo do PROPAT

A antiga Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Pereira – cujas ruínas são atualmente conhecidas pela denominação de Igreja Queimada – surgiu no início do século XVIII em decorrência dos esforços da comunidade local, que realizou obras e melhoramentos no templo religioso até então ali existente a fim de garantir sua elevação à categoria de Matriz e a aquisição do título de Paróquia pela localidade, fato que ocorreu em 1720. Ao longo do tempo, esse edifício passou por diversas transformações que, longe de reduzir o seu valor histórico e cultural, conferiram, a esse bem imóvel, novos sentidos e significados que reforçam a necessidade de preservação desse bem como patrimônio cultural. Em 1830, sua estrutura foi atingida por um incêndio. Tal fato não significou seu abandono pela comunidade, a qual incorporou o uso de se enterrar em igrejas, e converteu as ruínas em área de cemitério do distrito. Esse uso consolidou-se de tal maneira que a área dedicada ao cemitério foi ampliada na década de 1990, ocupando terreno contíguo ao templo. Hoje, gerações de habitantes de Antônio Pereira encontram-se enterrados no espaço. Desse modo, relevante para a tessitura urbana, esse bem imóvel soma-se à visibilidade que, presente na paisagem, é expressão da religiosidade, conferindo senso de lugar, orientação, pertencimento, além de possuir caráter rememorativo e documental. O tombamento da Igreja Queimada foi, portanto, o reconhecimento de sua importância histórica, arquitetônica, estética, estilística, formal, técnico-construtiva, urbanística e afetiva para o distrito de Antônio Pereira e para o município, bem como seu valor como marco paisagístico, rememorativo, e sagrado, garantindo sua salvaguarda.



Parecer de tombamento: clique aqui para download

Fontes de informação e referências:

Acervo de Inventários e Dossiês da Prefeitura de Ouro Preto/PROPAT e Arquivo Público Municipal de Ouro Preto